vídeo & mp3

Chorando com Wilson Maria, bandolim solo

Ultimamente tenho me aventurado bem mais com solos de bandolim de 10 cordas. A turma da “corda a mais” tem explorado muito os recursos deste instrumento, que ainda é tão recente, e os esforços para desenvolver um repertório não têm sido nada escassos. Pensei, tempos atrás e cá com meus botões, que talvez eu pudesse dar meu modesto aporte a esse desenvolvimento, brincando com aquelas notas mais graves, pondo uma aqui, outra acolá… Chorando com Wilson Maria Rossini Ferreira [audio:http://www.marcoruviaro.com/wp-content/uploads/2010/11/rossini_ferreira_chorando_wilson_maria_export.mp3|titles=“Chorando com Wilson Maria”, choro de Rossini Ferreira|autostart=no] Eis, pois, minha humilde versão de “Chorando com Wilson Maria”, uma obra-prima do…

Roberto Taufic & Marco Ruviaro

Na aconchegante cidade de Ciriè, em plena planura piemontesa, Roberto Taufic fez um concerto solo de respeito, algo assim de magistral. Ele havia acabado de gravar o seu CD Eles & Eu (que viria a sair somente ano e meio depois) e estava com idéias frescas, tudo na ponta do dedo. Eis que, ao final do concerto, ele me convida para fazer o bis… e o resultado está neste vídeo logo abaixo! Importante deixar claro que não foi nada ensaiado… saiu do jeito que saiu, conforme veio! Roberto Taufic & Marco Ruviaro Ciriè, Itália, 18 de outubro de 2008 Tico-tico…

Noches madrileñas…

O que a Espanha tem a ver com a música instrumental brasileira, especificamente com o Choro? Existiriam bandolins e violões 7 cordas perambulando pela extrovertida noite madrilenha assim, sem mais pudores? Como se explicaria este fenômeno? Quem estaria por trás disso? Um vídeo talvez seja a chave para que elucidemos tão profundas questões. Um vídeo, um detalhe, um momento. Certa feita, meados de novembro de 2009, eu encontrava em um palco de Madrid meu grande amigo Fernando de la Rúa. Violonista brasileiro de Itapeva, Fernando está em terras espanholas já há vários anos. Às altas noites madrilenhas, relembrávamos as noites…

Quarteto Jogral em Bistagno, outubro de 2008

Un raffinato repertorio basato sullo Choro, però con brani anche di Samba e Bossa-nova, è la proposta del Quarteto Jogral. Lo Choro è uno dei filoni più antichi della musica popolare brasiliana. Dalla seconda metà del XIX secolo i musicisti popolari che erano quasi sempre negri o meticci, cominciarono ad adattare a orecchio gli stili musicali che ascoltavano nei salotti dell’alta borghesia (polke, scottische, mazurke, walzer, etc) mettendo insieme il sentimentalismo portoghese con elementi ritmici africani. Da qui naquero vari generi musicali tra i quali, con il genio del compositore e strumentista Pixinguinha, lo Choro trovò una sua propria forma…

5 of 5
12345