Discografia

Tenho até o presente momento seis CDs gravados: meu projeto autoral Acabou o sossego…, um com o New York Choro Duo (abril/2013), dois com o trio Choro de Rua (o primeiro em junho/2012 e o segundo em março/2013), um com o Circolo Odeon (fevereiro/2013), um com o duo Choro na Manga (janeiro/2009). Em breve, estarão disponíveis nesta página arquivos MP3 de algumas faixas destes discos.

“Acabou o sossego…”, disco autoral (Abril de 2014)

Em abril 2014, lancei em São Paulo o meu novo disco, intitulado “Acabou o sossego…”. É um projeto inovador na minha carreira de músico, pois contém somente minhas próprias composições. Apesar do pouco tempo desde seu lançamento, tem sido alvo de muitos elogios, o que só me dá forças para seguir adiante minha por ora modesta lavra chorística. Os custos de produção e concretizar este trabalho. Nenhum objetivo de lucro, somente pagar as despesas de gravação e prensagem. No fundo, no fundo, o objetivo é um só: divulgar o Choro através da minha modesta lavra.

Acabou o sossego… meu CD autoral

Acabou o sossego… meu CD autoral

“Numa seresta”, New York Choro Duo (Abril de 2013)

Em colaboração com o grande violonista 7 cordas Cesar Garabini, o projeto New York Choro Duo lançou seu CD de estréia, intitulado “Numa seresta”, em Abril de 2013. Gravado e mixado no fortemente artístico bairro do Brooklyn, em Nova York, o CD conta com 7 Choros do repertório tradicional e duas composições nossas — “Refinamento”, samba que compus dedicado ao Cesar, e “Samba do Beco”, composição do Cesar, em homenagem ao boteco que hospeda a mais tradicional roda de choro de Nova York.

NY Choro Duo, "Numa seresta"

NY Choro Duo, “Numa seresta”

— Numa seresta (Luiz Americano)
— É do que há (Luiz Americano)
— Uma valsa e dois amores (Dilermando Reis)
— Poesias do Aldemar (Rossini Ferreira)
— Refinamento (Marco Ruviaro)
— Cristal (Jacob do Bandolim)
— Atraente (Chiquinha Gonzaga)
— Chorando com Wilson Maria (Rossini Ferreira)
— Samba do beco (Cesar Garabini)

Destaque para a deliciosa participação da portuguesa Catarina dos Santos na faixa número 7, de Chiquinha Gonzaga. Obrigado, Catarina! O disco está disponível para compra nos Estados Unidos e na Europa, diretamente com os músicos.

“Aeroplanando”, Choro de Rua (Março de 2013)

Foi lançado em Maio de 2013 o segundo CD do Choro de Rua, intitulado “Aeroplanando”. Somente repertório de altíssima qualidade, ainda que pouco tocado e gravado, contemplando grandes compositores que são referência no Choro, como Frederico de Jesus, Ernesto Nazareth, Albertino Pimentel e Irineu de Almeida.

Para adquiri-lo, visite iTunes, Google Play, CDBaby, Amazon et cetera.

O Choro de Rua é formado por Marco Ruviaro (sim, eu) ao violão 7 cordas, e Barbara Piperno à flauta.

Choro de Rua, "Aeroplanando"

Choro de Rua, “Aeroplanando”

— Aeroplanando (Frederico de Jesus)
— Lucília (Frederico de Jesus)
— Albertina (Albertino Pimentel)
— Seu bem (Luiz Brandão)
— Marília (Frederico de Jesus)
— Digitalis (Irineu de Almeida)
— Tenebroso (Ernesto Nazareth)
— Aranha de ouro (Frederico de Jesus)
— Guerreiro (Ernesto Nazareth)
— Choques e Cheques (Albertino Pimentel)
— Conversa de botequim (Noel Rosa)
— Aeroplanando 2 (Frederico de Jesus)

Importante notar que preferimos que o disco “Aeroplanando” seja adquirido diretamente conosco, durante as nossas apresentações pelo mundo afora, afinal o propósito do Choro de Rua é esse: o público nos ouve ao vivo, sem intermediários, e leva consigo o CD caso goste da nossa Música; coisa que, ainda bem, é o que tem acontecido geralmente!

O Choro de Rua começou com um trio (quando contávamos com o acordeonista umbro-toscano Paolo Papalini) e lançou seu primeiro CD em julho de 2012. O disco teve pequena tiragem e os poucos afortunados que o possuem têm em mãos uma verdadeira relíquia.

Choro de Rua (Julho de 2012)

O primeiro CD do Choro de Rua foi gravado em trio. Marco Ruviaro (sim, eu) ao violão 7 cordas, Barbara Piperno à flauta, e Paolo Papalini ao acordeon. O CD está esgotado e não há previsão de nova tiragem, visto que o acordeonista já não mais participa do grupo.

Circolo Odeon (Fevereiro de 2013)

Tendo suas origens em uma desinteressada roda de choro em Bologna, a formação definitiva do Circolo Odeon começou a delinear-se em 2012, quando fui convidado para integrar o posto vacante de bandolim. As cinco peças do quinteto são Tim Trevor-Briscoe ao clarinete, Rocco Casino Papia ao violão 7 cordas, Barbara Piperno à flauta, Marco Zanotti ao pandeiro e Marco Ruviaro (sim, eu) ao bandolim.

Circolo Odeon, disco homônimo

Circolo Odeon, disco homônimo

— Naquele tempo (Pixinguinha)
— Cosettina (Angelo Ragazzini)
— Os oito batutas (Pixinguinha)
— Santa morena (Jacob do Bandolim)
— Doce de coco (Jacob do Bandolim)
— O bom filho à casa torna (Bomfiglio de Oliveira)
— Segura ele (Pixinguinha)
— Inverno (Angelo Ragazzini)
— Receita de samba (Jacob do Bandolim)
— Machucando (Adalberto de Souza)

Em fevereiro de 2013 o quinteto se reuniu nas lonjanças campeiras da Emilia-Romanha para registrar seu primeiro disco, gravado em apenas duas tardes, e que vem fazendo estremecer o cenário chorístico bolonho-italial com um encaixe incrivelmente encaixado entre os cinco instrumentos, que se revezam como verdadeiros azes nas funções de solistas, acompanhadores e observadores.

Choro na Manga (Janeiro de 2009)

O disco Choro na Manga pode ser solicitado diretamente comigo através da página de contato. Alternativamente, as faixas podem ser adquiridas na Amazon e também através do iTunes.

CD Choro na Manga

CD Choro na Manga

— A Ginga do Mané (Jacob do Bandolim)
— No coreto (Pedro Amorim)
— Horas vagas (Jacob do Bandolim)
— Diabinho maluco (Jacob do Bandolim)
— Sons de carrilhões (João Pernambuco)
— Segura ele (Pixinguinha)
— Desvairada (Garoto)
— Choro negro (Paulinho da Viola)
— Sempre (K-Ximbinho)
— Um a zero (Pixinguinha)

O Duo Choro na Manga, formado por Fabrizio Forte ao violão e Marco Ruviaro (sim, eu) ao bandolim, esteve em franca atividade de setembro de 2007 até fevereiro de 2012, quando os rumos do acaso decidiram que o duo havia cumprido seu papel na Terra; a ambos era chegado o momento de seguir com outros projetos.